Festival Circular 2015
31 dez Realização do documentário sobre Álvaro Laborinho Lúcio em curso imagem para Realização do documentário sobre Álvaro Laborinho Lúcio em curso Está a decorrer a realização de um documentário em torno de Álvaro Laborinho Lúcio, dando particular atenção a ideias como: educação, arte e cidadania.
Estreia e exibição em Novembro de 2015.

Documentário "Álvaro"
Projecto "As palavras e os gestos. O tempo e o silêncio"
Concepção e coordenação: Magda Henriques
Realização: Eva Ângelo

Este documentário faz parte do programa de actividades pedagógicas, Derivas Artísticas, promovido pela Associação Cultural Circular.

Mais informações brevemente disponíveis.

© DR
27 jan Artista Residente: Joclécio Azevedo, João dos Santos Martins e Filipe Caldeira imagem para Artista Residente: Joclécio Azevedo, João dos Santos Martins e Filipe Caldeira O projecto "Artista Residente" propõe-se repensar possibilidades de colaboração entre artista e estrutura numa perspectiva de maior estabilidade, criando processos de diálogo que enriqueçam mutuamente as práticas de trabalho.
Tendo iniciado em 2012, com a associação do artista Joclécio Azevedo, dá-se agora continuidade à actividade com a inclusão dos artistas João dos Santos Martins e Filipe Caldeira. A Circular Associação Cultural assegura a produção e a difusão dos trabalhos dos artistas associados.
__________________________

"ESCOMBROS" de Joclécio Azevedo
Estreia Outubro 2015 Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP)

Concepção: Joclécio Azevedo | Em colaboração com: Jonathan Uliel Saldanha, Jordann Santos | Interpretação: Catarina Miranda, Ece Canli, Joclécio Azevedo | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Teatro de Ferro, Companhia Instável | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Festival Internacional de Marionetas do Porto e Circular Associação Cultural

"INTERMITÊNCIAS" de Joclécio Azevedo
Estreia 2016 Rivoli Teatro Municipal

Um projecto de: Joclécio Azevedo | Em colaboração com: Kubik aka Victor Afonso, Jérémy Pajeanc, Jordann Santos | Interpretação: André Mendes, Bruno Senune, Camila Neves, Joana Castro, Joclécio Azevedo | Desenho de luz e operação: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Companhia Instável | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Teatro Municipal do Porto - Rivoli e Circular Associação Cultural
____________________________

"PROJECTO CONTINUADO (2015)" de João dos Santos Martins
Estreia 14 Fevereiro, 18:00 - Guidance - Festival Internacional de Dança Contemporânea (Guimarães)
20, 21 Fevereiro, 21:30 - Teatro Sá da Bandeira (Santarém)
27, 28 Fevereiro, 21:30 - Culturgest (Lisboa)

Um projecto de: João dos Santos Martins | Em colaboração com: Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, Sabine Macher| Composição para piano e performance ao vivo/piano: Simão Costa | Desenho de luz: Ricardo Campos | Produção: Associação Parasita | Apoio à produção e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Culturgest, Centro Cultural Vila Flor, CCN de Montpellier Languedoc-Roussillon no contexto do projecto Life Long Burning subsidiado pelo programa Cultura da União Europeia | Residências artísticas: CCN de Montpellier Languedoc-Roussillon, Centro de Criação de Candoso, EIRA, Musibéria, O Espaço do Tempo | Apoios: Câmara Municipal de Santarém/Teatro Sá da Bandeira, Santarém


"AUTO-INTITULADO (2015)" de João dos Santos Martins & Cyriaque Villemaux
Estreia Outubro 2015 Circular Festival de Artes Performativas
2016 Alkantara Festival

Um projecto de e por: Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins | Produção executiva e difusão: Circular Asociação Cultural | Co-produção: Circular Festival de Artes Performativas, Alkantara Festival | Residências artísticas: O Espaço do Tempo, Armazém 22
___________________________

"O CÃO QUE CORRE ATRÁS DE MIM (E O AVÔ ELÍSIO À JANELA)" de Filipe Caldeira
Estreia Novembro 2015 Teatro Maria Matos (Lisboa)

Criação e interpretação: Filipe Caldeira | Dramaturgia: Joclécio Azevedo | Texto originalt: Isabel Minhós | Som e objectos cénicos: Ana Guedes | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Agradecimentos: Teatro do Frio
Encomenda do programa para Crianças e Jovens do Teatro Maria Matos


"A CAÇADA" de Filipe Caldeira
Estreia 2016 Circular Festival de Artes Performativas

Projecto de: Filipe Caldeira | Em colaboração com: Joclécio Azevedo, Laetitia Morais | Interpretação: a definir | Luz: MIguel Carneiro | Apoio à residência: Armazém 22 | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural




© DR
02 fev Ciclo de seminários de História Dança, Teatro, Música e Crítica e Ideia da Arte na FLUP imagem para Ciclo de seminários de História Dança, Teatro, Música e Crítica e Ideia da Arte na FLUP Ciclo de Seminários na FLUP

Seminários de História da Dança, História do Teatro, História da Música e Crítica e Ideia da Arte na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP)

Iniciativa em parceria: Circular Associação Cultural, Faculdade de Letras da Universidade do Porto/Departamento de Ciências e Técnicas do Património/História da Arte e Forum Dança
______________________________

HISTÓRIA DA DANÇA COM EZEQUIEL SANTOS
27, 28 Fevereiro 2015
Sexta 18:00-22:00  |  Sábado 09:30-13:30 14:30-18:30
Faculdade de Letras da Universidade do Porto (sala 201)

HISTÓRIA DO TEATRO COM FRANCISCO FRAZÃO
20, 21 Março 2015
Sexta 18:00-22:00  |  Sábado 09:30-13:30 14:30-18:30
Faculdade de Letras da Universidade do Porto (sala 201)

HISTÓRIA DA MÚSICA COM RUI LEITÃO
10, 11 Abril 2015
Sexta 18:00-22:00  |  Sábado 09:30-13:30 14:30-18:30
Faculdade de Letras da Universidade do Porto (sala 201)

CRÍTICA E IDEIA DA ARTE COM ANTÓNIO GUERREIRO
15, 16, 22 e 23 Maio 2015
Sextas 18:30-21:30   | Sábados 10:30-13:30
Faculdade de Letras da Universidade do Porto (sala 201)

______________________________

HISTÓRIA DA DANÇA com Ezequiel Santos
Este seminário focaliza-se na dança teatral. Tomaremos como fonte de trabalho o texto Cartas sobre a dança, publicado por Jean Georges Noverre em 1760, a fim de refletirmos sobre os sistemas de representação associados aos géneros do ballet, da dança moderna e da dança contemporânea. Faremos igualmente menção aos contextos sociais, artísticos e locais que facilitaram as circunstâncias da criação e do pensamento ligadas a esta forma de arte, com destaque para a sua produção ao longo do século XX. Deste modo, pretende-se que o público interessado adquira conhecimentos e instrumentos de leitura sobre o património da dança para que a sua relação futura neste campo seja melhor informada.

Ezequiel Santos
Psicólogo e psicoterapeuta, docente na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril na área de ciências sociais e humanidades, docente convidado na Escola Superior de Dança em Lisboa em 2005/2006. Programador convidado pela EIRA para a 1ª edição do Festival  Cumplicidades a decorrer em Março de 2015. Concluiu o CMDC II do Forum Dança, em 1993, desenvolvendo desde então a sua actividade como pedagogo nas áreas da psicologia, comunicação, dança criativa e ainda como crítico de dança.
Foi intérprete dos coreógrafos Madalena Victorino, Rui Nunes e Francisco Camacho até 1996 apresentando-se em várias cidades europeias. Entre 1996 e 2006 trabalhou no Forum Dança como director do Núcleo de Apoio Coreográfico. Lecciona regularmente as disciplinas de História da Dança e Teoria da Dança e tem apresentado várias comunicações sobre dança na Europa e no Brasil.

_________________________________

HISTÓRIA DO TEATRO com Francisco Frazão
I - Algumas definições (“What’s in a name?”) a partir de textos de Osório Mateus, J. Rancière, M. Fried, P. Brook, entre outros. Ideias de teatro, essência e especificidade. Teatro/literatura, teatro/performance, presença/representação, comunidade/separação. Modos de ver: de Édipo Rei a The Author de Tim Crouch. 
II - Sobre que é o teatro? Espectáculos recentes de Angélica Liddell, Teatro Praga, Forced Entertainment, Mariano Pensotti, Elevator Repair Service e Nature Theater of Oklahoma.
Encenação e dispositivo: autobiografia, ironia e sinceridade; narrativa e catálogo; experiência e duração; disjunção, heterogeneidade e ready-made.  

Francisco Frazão
Nasceu em 1978. Fez o curso de Línguas e Literaturas Modernas (Português/Inglês) da Faculdade de Letras de Lisboa, onde depois leccionou algumas cadeiras do curso de Artes do Espectáculo (História do Cinema, Cinema e Literatura, Argumento Cinematográfico). Está a preparar um doutoramento em Estudos Comparatistas. Colaborou com os suplementos Leituras e Mil Folhas do Público e Actual do Expresso e publicou artigos nas revistas Abril em Maio, Artistas Unidos eIntervalo. Integrou a comissão de leitura dos Artistas Unidos. Traduziu textos de Beckett, Pinter, Jon Fosse, Stephen Greenhorn, David Greig, Howard Barker e Tim Crouch. É programador de teatro da Culturgest.

___________________________


HISTÓRIA DA MÚSICA com Rui Leitão
A Música é uma disciplina que, desde sempre, se combina muito com as restantes artes. Mais recentemente, invade as nossas vidas, de manhã à noite, com origem nos mais variados suportes. Por estas razões, é uma ferramenta quase incontornável no desenvolvimento de projectos criativos nas áreas da comunicação e das artes do espectáculo. Por si só, reúne em seu torno uma panóplia de conhecimentos técnicos que coloca ao serviço de uma lista de estilos e funções inesgotável. Frequentemente, é tida como uma especialidade cuja abordagem só está ao alcance da erudição melómana, inibindo aqueles que dizem «não saber Música». Mas não tem de ser assim.
Este curto seminário propõe-se a reflectir sobre este «saber», tendo em vista os múltiplos propósitos dos agentes da cultura. Recorrendo à conversa e a documentação escrita, sempre apoiadas em registos de áudio e vídeo, percorre séculos de História sem juízos de gosto. Essencialmente focado na cultura ocidental, aborda de igual modo o repertório barroco e as vanguardas experimentalistas do pós-guerra, as valsas oitocentistas e as sonoridades electrónicas mais recentes. É uma introdução de fôlego em matéria de Música.

Rui Leitão
Formado em Musicologia, desenvolveu pontualmente a sua actividade artística no domínio das Artes do Espectáculo. Obteve o grau de Mestre na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas com a dissertação intitulada «A Paisagem Musical e Sonora da Cidade de Lisboa no Ano de 1890». Foi professor na Academia Superior de Orquestra da Metropolitana entre 2000 e 2010. Colabora com o Departamento de Dança da Faculdade de Motricidade Humana desde 1997, onde é actualmente Professor Auxiliar Convidado, e é desde 1996 formador dos cursos do Forum Dança, designadamente do curso de Gestão e Produção das Artes do Espectáculo (CGPAE) e, mais recentemente, do Programa de Estudo, Pesquisa e Criação Coreográfica (PEPCC). Exerce a profissão de musicólogo na AMEC / Metropolitana. Aí desenvolve conteúdos destinados ao funcionamento e à divulgação da actividade da Orquestra Metropolitana de Lisboa e dos múltiplos agrupamentos tutelados por aquela associação cultural. Desde 2007, tem vindo a desempenhar funções de assessoria junto das suas sucessivas direcções.
________________________

CRÍTICA E IDEIA DA ARTE com António Guerreiro
O Romantismo (ou melhor, o primeiro Romantismo Alemão), com a sua teoria especulativa da arte, criou uma teoria estética onde é central o conceito de crítica: a crítica interna à arte (à própria obra, que integrou um princípio crítico e especulativo), enquanto medium da reflexão para o conhecimento de si, como Ideia; e a crítica de arte, enquanto discurso autónomo que está hoje ameaçado. É precisamente a teoria estética do Romantismo que forneceu as categorias e conceitos estéticos que estão na base das vanguardas do século XX e de grande parte da arte contemporânea (veja-se, por exemplo, a poderosa irradiação da noção de sublime, na nossa época) e que deu origem a um uso múltiplo da noção de "crítica". O programa deste curso consistirá então em acompanhar, no seu percurso histórico, o conceito de crítica que, desde o Romantismo, abre a arte à reflexão sobre si própria, perspectiva que obrigará também a que se aborde a disciplina que dá pelo nome de crítica de arte, que pode ser colocada a par da historiografia da arte e da estética e que desempenhou um papel fundamental nas instituições do mundo artístico.    


António Guerreiro
Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (Português/ Francês). Foi ensaísta e crítico literário do semanário “Expresso”, actualmente é colaborador do Público/Ípsilon., publicou um volume de ensaios, O Acento Agudo do Presente (Cotovia, 2000). Tem colaboração dispersa em revistas e volumes colectivos e editou, com Olga Pombo e António Franco Alexandre, Enciclopédia e Hipertexto (Editora Duarte Reis, 2006). Fundou com José Gil, Silvina Rodrigues Lopes a revista Elipse. Walter Benjamin e Aby Warburg (sobre os quais tem vários artigos publicados) são os dois pontos fortes do seu trabalho nos últimos anos.

______________________________

Preço: 40€/cada seminário
Desconto 20% estudantes Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Desconto 10% na inscrição em mais do que um seminário

Inscrição: Prazos limite de inscrição: Seminário Teatro 13 Março | Seminário Música 3 Abril | Seminário Crítica 8 Maio | Envio de email com nome e contacto telefónico para forumdanca@forumdanca.pt

Para mais informações: www.forumdanca.pt 
www.circularfestival.com

__________________________

Imagem: © DR