imagem da secção
Circular 2015
Programa
linha
foto para Inês Volmir Cordeiro Inês 26 Setembro| Sábado| 18:00
Teatro Municipal de Vila do Conde Dança
foto para Inês
Inês
Volmir Cordeiro
Um dia, encontrei esta mulher que se chama Inês. Não fiquei satisfeito em olhá-la, quis sobretudo aproximar-me dela. Imediatamente comecei a reconhecer-me nela. Deixei o meu papel de observador e comecei a viver com este “ser de carne”. Não fiquei satisfeito em captá-la, foi-me necessário engoli-la. Aí está a minha mais forte intenção: fazê-la emergir, transformá-la em questão, propor-lhe uma cena, atribuir-lhe um problema. Como encontrar o sentido da sua existência na minha e como deixar habitar no meu pequeno corpo todo o seu corpo de macumbeira? Gostaria de propor ao público a experiência que é a minha, esta de ficar de frente com alguém desconhecido, totalmente estranho e estrangeiro, totalmente inexplorado. Tal qual ela é, Inês, parece-me indispensável em tudo o que ela contém: desde o seu objectivo insolente de pertencer ao mundo célebre até os resíduos de alegria, malícia, tristeza e vergonha que a fazem dançar.

Coreografia e interpretação: Volmir Cordeiro | Criação de luz: Beto de Faria | Técnico de Luz: Ludovic Rivière | Criador de Som: Cristian Sotomayor  | Agradecimentos: Anne-Lise Le Gac, Pauline Le Boulba, Pauline Simon | Produção delegada: Météores | Responsável de Produção: Margot Videcoq | Co-produção: Musée de la danse, Théâtre de Vanves, Ménagerie de Verre, Centro Cultural de Belém, Materiais Diversos, Open Latitudes. Projeto em parte financiado pelo Estado Português Secretaria da cultura / DGArtes, Materiais Diversos e as cidades de Torres Novas, Alcanena e Cartaxo. | Com o apoio de: Montevideo, Centre National de la Danse - Pantin et les Laboratoires d’Aubervilliers pour leurs prêts de studios | Etapas de construção: « Inês, porque ela merece… » : Palais de Tokyo, CNDC d’Angers, Festival Panorama (Rio de Janeiro) e Les Laboratoires d’Aubervilliers, assim como o projeto "Emanticipation, un laboratoire" pela Cia Mua, direção de Emmanuelle Huynh, na galeria de arte Lafayette Anticipation.

Espectáculo falado em português.

vídeo   |  biografia


© Cristiano Prim
26 Setembro | Sábado | 18:00
Teatro Municipal de Vila do Conde
Bancada no palco


Duração aprox.: 50 min
Classificação etária: M6
__

Bilhetes e reservas

foto para D'Après une Histoire Vraie Christian Rizzo D'Après une Histoire Vraie 26 Setembro| Sábado| 21:30
Teatro Municipal Porto - Rivoli
Dança
foto para D'Après une Histoire Vraie
D'Après une Histoire Vraie
Christian Rizzo
Co-apresentação: Teatro Municipal Porto - Rivoli

“2004, Istambul. Poucos minutos antes do fim de uma apresentação, um grupo de homens irrompeu no palco, com uma dança tradicional, que, de um momento para o outro, desapareceu sem deixar rasto. Fiquei profundamente tocado por uma profunda e quase arcaica emoção. Terá sido a dança ou o vazio que ficou, depois do grupo desaparecer, que tomou conta de mim? A sensação permaneceu ancorada em mim desde então.
O ponto de partida para esse projecto foi essa memória ou, mais exactamente, a busca para encontrar o que esta memória tinha deixado em mim. Não tenho qualquer interesse em recriar uma dança pré-existente na sua totalidade. Prefiro entender porque senti tanta empatia com este momento e com esta forma de dançar, que ainda hoje ressoa em mim. Por isso, é mais uma questão de refazer os passos da minha memória, a fim de inventar a base de um resumo para escrever. Acompanhado por 8 bailarinos e 2 músicos, procurei um espaço onde o movimento e a sua relação com a música brinca com as categorias de “popular” e “contemporâneo”. Imagino uma dança que, ao tomar as memórias de práticas folclóricas, iria encontrar um atrito com o meu gosto pela queda e pelo toque. É neste momento de confronto/encontro que se centra o essencial desta peça.” Christian Rizzo

Concepção, Coreografia, Cenografia e Figurinos: Christian Rizzo | Intérpretes: Fabien Almakiewicz, Yaïr Barelli, Massimo Fusco, Miguel Garcia Llorens, Pep Garrigues, Kerem Gelebek, Filipe Lourenço, Roberto Martinez | Música Original: Didier Ambact e King Q4 | Música ao Vivo: Didier Ambact e King Q4 | Desenho de Luz: Caty Olive | Assistência Artística: Sophie Laly | Coordenação: Jerôme Masson ou Victor Fernandes | Som: Vanessa Court ou Fréderic Peugeot | Luz e Vídeo: Arnaud Lavisse, Samuel Dosière e Érik Houllier | Produção: Anne Fontanesi, Anne Bautz

Conversa pós-espectáculo
com Christian Rizzo e Cristina Grande
Café-Concerto Teatro Municipal Rivoli


vídeo     |   site    |    biografias


© Marc Domage
26 Setembro | Sábado | 21:30
Teatro Municipal Porto - Rivoli
Estreia nacional


Duração aprox.: 70 min
Classificação etária: M12

Bilhetes e reservas
foto para Quizoola! Forced Entertainment Quizoola! 27 Setembro| Domingo| 15:00-21:00
Teatro Municipal de Vila do Conde Teatro
foto para Quizoola!
Quizoola!
Forced Entertainment
“Qual é a capital de Espanha? Porque é que as pessoas têm medo de morrer? O que é uma árvore? O John Wayne era mesmo valente? O teu louro é natural?” Para apresentar Quizoola! foram convidados Jorge Andrade, Pedro Penim e Vera Mantero que vão trazer-nos uma edição especial em português do clássico trabalho dos Forced Entertainment com questões e respostas improvisadas. Durante seis horas, os três actores com os rostos pintados como palhaços vão, à vez, escolher perguntas e improvisar respostas. A performance é baseada num texto de Tim Etchells com 2000 perguntas.
O público poderá entrar e sair durante a apresentação.

Texto: Tim Etchells | Criação: Forced Entertainment | Interpretação: Jorge Andrade, Pedro Penim e Vera Mantero | Desenho de luz e cenografia: Richard Lowdon


vídeo 
  |  site   |  biografias


Foto Forced Entertainment: © Hugo Glendinning
Foto com Jorge Andrade e Pedro Penim: © José Frade

27 Setembro | Domingo | 15:00-21:00
Teatro Municipal de Vila do Conde

Duração: 6 horas [o público poderá entrar e sair durante a apresentação]
Classificação etária: M16
__


Bilhetes e reservas
foto para Intermitências #2 Joclécio Azevedo & Kubik (aka Victor Afonso) Intermitências #2 30 Setembro| Quarta| 21:30
Teatro Municipal Porto - Rivoli
Concerto/Performance
foto para Intermitências #2
Intermitências #2
Joclécio Azevedo & Kubik (aka Victor Afonso)
Em “Intermitências #2” o músico Victor Afonso (aka Kubik) e o coreógrafo Joclécio Azevedo juntam-se aos bailarinos André Mendes e Joana Castro num concerto/performance a ser realizado no sub-palco do Teatro Municipal do Porto – Rivoli. Propõe-se neste encontro um diálogo entre processos de escrita musical e coreográfica. Cultiva-se aqui a mobilidade, a capacidade de estar entre mundos, de realçar a permeabilidade de quem está disponível para atravessar ou para ser atravessado pelas sonoridades que nos cercam, pelas imagens que nos interrogam. Como pano de fundo dispomos do tempo comum, ou seja, do tempo partilhado onde afloram-se e retalham-se referências, transmitem-se expectativas, alinham-se possibilidades de aproximação ou de afastamento. Tal como no momento anterior “Intermitências #1”, surge neste momento de apresentação um forte enfoque sobre o trabalho de montagem, tal como entendido na fábrica ou no cinema.
Este é o segundo momento aberto ao público do projecto “Intermitências”, a ser desenvolvido numa série de residências artísticas durante 2015. O projecto será concluído em Fevereiro de 2016 com a apresentação de uma nova criação no Teatro Municipal do Porto - Rivoli. Durante este intervalo de tempo, o processo de trabalho para esta nova peça activa-se e desactiva-se, é visível e invisível, está presente e ausente, assume-se como um jogo de temporalidades em intercâmbio permanente com os espaços de interacção e com o (re)conhecimento dos seus públicos, dos seus interlocutores.

Concepção:  Joclécio Azevedo e Kubik (aka Victor Afonso)| Banda sonora e música ao vivo: Kubik (aka Victor Afonso) | Bailarinos: André Mendes e Joana Castro | Colaboração: Jérémy Pajeanc | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Companhia Instável | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Teatro Municipal do Porto – Rivoli e Circular Associação Cultural

site Joclécio Azevedo  |  soundcloud Kubik biografias


© DR
30 Setembro | Quarta | 21:30
Teatro Municipal Porto - Rivoli

Duração aprox.: 45 min
Classificação etária: M12
__

Bilhetes e reservas



foto para In the Fall the Fox, e na Queda Raposar Sónia Baptista In the Fall the Fox, e na Queda Raposar 1 Outubro| Quinta| 21:30
mala voadora.porto (Rua do Almada 283, Porto)
Dança
foto para In the Fall the Fox, e na Queda Raposar
In the Fall the Fox, e na Queda Raposar
Sónia Baptista
in the fall the fox, e na queda raposar é uma Performance em que a dimensão política e emocional da representação da identidade de uma pessoa, mulher, bicho, é revelada, analisada, procurada através de uma narrativa dramatúrgica pessoal, ou de uma nota biográfica que cristalizou um momento autobiográfico no tempo e o reconta, vulnerável. Narrativa patética de ambiguidades, enganos e desenganos. Tentativa de clarear o que se obscureceu por terceiros ou se toldou com segundas intenções. Primeiro, límpido se quer o olhar.

Criação e Interpretação: Sónia Baptista | Textos, Figurinos, Adereços, Espaço Cénico: Sónia Baptista | Vídeo: Joana Linda e Sónia Baptista | Ilustração: Bárbara Assis Pacheco | Piano: Lola A. Fox | Produção: AADK | Co-produção: Temps d’Images | Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian, GDA| Acolhimento: Cão Solteiro | Agradecimentos: Alexandre Lemos, Ana Vidigal, André Godinho, António Gouveia, Bahar Fattahi, Diogo Melo, Helena Nogueira Silva, Joana Dilão, Lara Torres, Margarida Bak Gordon, Paula Sá Nogueira, Simon Ellis, Vania Rovisco

Após o espectáculo seguir-se-á o lançamento do livro "E na queda raposar" de Sónia Baptista, com a presença do editor João Concha.

Sobre o livro:

“E na queda raposar”, livro de Sónia Baptista, editado pela Não (edições), corresponde ao texto criado para a sua performance “In the fall the fox, e na queda raposar”, estreada em 2014 no Festival Temps d’Images em Lisboa.
Narrativa poética/patética de ambiguidades, enganos e desenganos nos processos relacionais, na qual a autora investiga sobre a dor e o acto de ser ou tornar-se, revelar-se, inteira apesar, e por causa, da, Dor. Narrativa poética de um processo banal mas que se revela como uma dádiva especial e uma espécie de começo de esperança. Recorrendo de modo livre e quase lúdico a diferentes línguas (Português, Inglês) e com especial atenção à sua fonética, justapõem-se referências culturais diversas para a construção de um universo e voz muito particulares.
A procura de uma dramaturgia pessoal, na qual o tempo e a experiência vividos se recontam e inventam, ganha forma neste texto sem género literário rígido, entre a prosa poética e a escrita diarística ou epistolar."

Esta peça e lançamento de livro marcam a segunda passagem da artista Sónia Baptista pelo Circular Festival de Artes Performativas, depois de em 2009 ter apresentado "Vice-Royale. Vain-Royale. Vile-Royale" em Vila do Conde.


vimeo
   |   biografia


© Joana Linda

1 Outubro | Quinta | 21:30
mala voadora.porto (Rua do Almada 283, Porto)

Duração aprox.: 60 min
| Lotação limitada
Classificação etária: M6

__

Bilhetes e reservas
foto para O céu é apenas um disfarce azul do inferno Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristóvão O céu é apenas um disfarce azul do inferno 2 Outubro| Sexta| 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde Dança
foto para O céu é apenas um disfarce azul do inferno
O céu é apenas um disfarce azul do inferno
Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristóvão

“A criação "O Céu é apenas um disfarce azul do Inferno" (citação de um poema de Pascoaes) debruça-se sobre visões, representações, heresias, que Céu e Inferno, Demoníaco e Angélico, assumem na cultura portuguesa, e fá-lo sob o signo da relação: carnal, conceptual, poética. Do "amor carnal espiritualizado pela dor". Esta criação pretende recuperar céus e infernos, de disfarces em disfarces. Com o medo e com a excitação, num fluxo constante de dissolução de fronteiras, de livre circulação de pulsões e intensidades. Os conceitos de “Caótico” (Deleuze) e de “Id” (Freud), surgem ainda como ferramentas a trabalhar. Para que se lidem vibrações, velocidades, intensidades, sensações, choques. O Caótico como criador de dissonâncias, de tensões, de conflitos que se alimentem de prazer e de resíduos reprimidos. De céu e de inferno, portanto.” 
HCC & JvMT

Direcção & Coreografia: Hugo Calhim Cristovão &  Joana von Mayer Trindade | Interpretação: Bruno Senune, Joana von Mayer Trindade e Xana Novais | Música original: Paulo Costa | Luz: Rui Barbosa | Co-produção: Festival Cumplicidades | Apoio: GDA, Instituto de Filosofia/FLUP | Residências artísticas: Centro Cultural “George Apostu”, no contexto do “MAP-SHARING OF PROCESSES” / “E-Motional: rethinking dance” (Bacau, Roménia), Balleteatro (Porto), Companhia Instável (Porto), Circolando e Circular Festival de Artes Performativas (Vila do Conde) | Agradecimentos: Tertúlia Crioula Portuense, Drumming - Grupo de Percussão | Projecto financiado pelo: Governo de Portugal/Secretário de Estado da Cultura/Direcção-Geral das Artes


site  |  biografias



©  Joana von Mayer Trindade, Romenia,  Centrul de Cultura George Apostu Bacau, 2015 (Gheorghe Zarnescu sculputure, “Patru sculpturi fara nume cu frantura circulara”, “Four nameless sculptures with circular bit”)
2 Outubro | Sexta | 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde
Estreia absoluta

Duração aprox.: 45 min
Classificação etária: M16
__

Bilhetes e reservas


foto para SILVO — UMBRA Jonathan Saldanha SILVO — UMBRA 2 Outubro| Sexta| 22:30
Capela Nossa Senhora do Socorro, Vila do Conde
Música
foto para SILVO — UMBRA
SILVO — UMBRA
Jonathan Saldanha
Concerto para voz, electrónica, luz e ressonância construído para o Coro de Santa Cecília. SILVO é uma série de ensaios sonoros sobre a presença imaterial da voz e a sua ressonância na arquitectura, num processo de feedback entre a carne e a cavidade, a vibração da umbra, a pulsão do nigredo.
A convite do Circular Festival de Artes Performativas e do Festival Curtas de Vila do Conde.

Composição/direcção: Jonathan Saldanha | Coro: Coro de Santa Cecília | Luz/vídeo: Diogo Tudela | Gesto: Catarina Miranda


site  |  biografias

© DR

2 Outubro | Sexta | 22:30
Capela Nossa Senhora do Socorro, Vila do Conde
Estreia absoluta

Duração aprox.: 60 min
Classificação etária: M12

__

Bilhetes e reservas
foto para Conversa com Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Profª Doutora Maria Celeste Natário (FLUP) Conversa com Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Profª Doutora Maria Celeste Natário (FLUP) 3 Outubro| Sábado| 17:00
Centro de Estudos Regianos
Conversa
foto para Conversa com Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Profª Doutora Maria Celeste Natário (FLUP)
Conversa com Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Profª Doutora Maria Celeste Natário (FLUP)
Nesta conversa aberta pretende-se partilhar o processo de trabalho que conduziu à criação (investigações, inspirações, desvios), na sequência dos objetivos e temas mais abrangentes que a sinopse enuncia. Nomeadamente, a questão do Céu e do Inferno tal como é expressa na poesia, pensamento e cultura portuguesas.

Com a participação de Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Profª Doutora Maria Celeste Natário (FLUP/Departamento de Filosofia).

Apoio: Instituto de Filosofia/FLUP



3 Outubro | Sábado| 17:00
Centro de Estudos Regianos (Av. José Régio, Vila do Conde)
Conversa


Entrada livre
foto para .In the Fall the Fox, e na Queda Raposar Sónia Baptista .In the Fall the Fox, e na Queda Raposar 3 Outubro| Sábado| 19:00
Auditório Municipal de Vila do Conde Dança
foto para .In the Fall the Fox, e na Queda Raposar
.In the Fall the Fox, e na Queda Raposar
Sónia Baptista
in the fall the fox, e na queda raposar é uma Performance em que a dimensão política e emocional da representação da identidade de uma pessoa, mulher, bicho, é revelada, analisada, procurada através de uma narrativa dramatúrgica pessoal, ou de uma nota biográfica que cristalizou um momento autobiográfico no tempo e o reconta, vulnerável. Narrativa patética de ambiguidades, enganos e desenganos. Tentativa de clarear o que se obscureceu por terceiros ou se toldou com segundas intenções. Primeiro, límpido se quer o olhar.

Criação e Interpretação: Sónia Baptista | Textos, Figurinos, Adereços, Espaço Cénico: Sónia Baptista | Vídeo: Joana Linda e Sónia Baptista | Ilustração: Bárbara Assis Pacheco | Piano: Lola A. Fox | Produção: AADK | Co-produção: Temps d’Images | Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian, GDA | Acolhimento: Cão Solteiro | Agradecimentos: Alexandre Lemos, Ana Vidigal, André Godinho, António Gouveia, Bahar Fattahi, Diogo Melo, Helena Nogueira Silva, Joana Dilão, Lara Torres, Margarida Bak Gordon, Paula Sá Nogueira, Simon Ellis, Vania Rovisco


vimeo  |  biografia


© Joana Linda
3 Outubro | Sábado | 19:00
Auditório Municipal de Vila do Conde

Duração aprox.: 60 min | Lotação limitada
Classificação etária: M6

__

Bilhetes e reservas
foto para Autointitulado João dos Santos Martins & Cyriaque Villemaux Autointitulado 3 Outubro| Sábado| 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde Dança
foto para Autointitulado
Autointitulado
João dos Santos Martins & Cyriaque Villemaux
Autointitulado foi feito para esquecer uma série de improvisações dançadas num estúdio previsto para esse efeito. As danças então filmadas, e depois apagadas, comportavam resíduos daquilo que identificámos como influências e imagens marcantes. Cada modelo, conhecido ou anónimo, cujo peso nos ancilosa os membros, levou-nos a uma composição de danças feita a partir da nossa memória. O intervalo de tempo que separa os modelos que reproduzimos supõe uma forma de narrativa cujos efeitos procurámos não exagerar. Não se trata pois de uma enésima história da dança posta em cena mas de uma prática de estúdio trazida para fora do aquário para ser asfixiada de uma vez por todas. No mínimo.
Teria sido impossível fazer esta peça sem o auxílio de certos dispositivos técnicos que hoje podem parecer elementares: uma câmara de filmar barata, um gravador de som barato, um assim-chamado smartphone, dois computadores ligados à internet. Estes engenhos foram utilizados da forma mais simples, na maioria das vezes longe das nossas próprias mãos.
Os materiais gravados provêm das seguintes povoações: Barcelona, Bruges, Bruxelas, Gaia, Lisboa, Ostend, Porto, Póvoa de Santarém, Saragoça, Santiago de Compostela e Viena d’Áustria. As suas datas coincidem com o período de férias de verão europeias durante os meses de junho, julho, agosto e setembro. Estes materiais foram, portanto, reunidos como documentos de ócio, nosso e dos nossos contemporâneos.


Um projeto de e por Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins | Desenho e operação de luz: Rui Monteiro | Co-produção:  Circular Festival de Artes Performativas e Alkantara Festival | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Residências artísticas: Alkantara, O Espaço do Tempo, danceWEB no contexto do projecto Life Long Burning subsidiado pelo programa Cultura da União Europeia, A22, Graner, Circular Festival de Artes Performativas | Co-apresentação: Alkantara com o apoio DNA/Programa Cultura da União Europeia” | Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian, Teatro Sá da Bandeira - Santarém | Agradecimentos: Fórum Dança, O Rumo do Fumo, Nome Próprio


site João dos Santos Martins
biografias

© DR
3 Outubro | Sábado | 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde
Estreia absoluta

Classificação etária: M6

__

Bilhetes e reservas
Actividades Paralelas
Actividades Paralelas
foto para Workshop com Filipe Lourenço Workshop Workshop com Filipe Lourenço 25 Setembro| Sexta| 19:00-21:00
Teatro Municipal Porto - Rivoli
Dança
foto para Workshop com Filipe Lourenço
Workshop com Filipe Lourenço
Workshop
Iniciativa: Paralelo (Programa de Aproximação às Artes Performativas/Teatro Municipal do Porto - Rivoli)

Com a apresentação do espetáculo de Christian Rizzo no Teatro Municipal Rivoli, Filipe Lourenço explora, num workshop direcionado para profissionais do espectáculo e estudantes de artes performativas, o folclore e a relação com o individuo, questionando a figura do círculo - o círculo como um conceito universal, concreto, espacial, geográfico, mas também abstracto e intimista.

biografia


© DR
25 Setembro | Sexta | 19:00-21:00
Teatro Municipal Porto - Rivoli (sala de ensaios)

Preço: 5€
Inscrições: Teatro Municipal Porto - Rivoli | Informações: 22 339 22 00