share facebook share facebook

Partilhar

Voltar

Voltar

  • © Ilias Spyrakis

A dança como um jogo para se levar a sério

Katerina Andreou (GR/FR)

Workshop

Escola de Dança de Vila do Conde

19 Set (Seg) | 18:30 - 20:30
Acesso gratuito 
Público-alvo: não profissionais, todas as idades
Workshop leccionado em inglês
Durante o workshop, tentaremos estabelecer um “recreio”, uma zona onde tudo o que podemos fazer melhor ou tudo o que ainda não fizemos podem encontrar o seu momento. A ideia é melhorar o processo de tomada de decisão enquanto desejo ou resposta instantâneos ao que quer que seja proporcionado pela situação e através da concordância com um envolvimento total na nossa presença ou falta de virtuosismo e o nosso estado na ocasião. Pode-se chamar "improvisação" a essa situação, mas prefiro a expressão "estilo livre" para dar mais importância a essa liberdade que buscamos enquanto nos movemos, e que precisa de ser praticada como uma capacidade psicomotora muito concreta. A base de um jogo sério.
— Katerina Andreou

Parceria: Escola de Dança de Vila do Conde



Katerina Andreou nasceu em Atenas em 1982, está radicada em França e desenvolve actividade nos campos da dança, música e coreografia. Formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Atenas e na Escola Pública de Dança de Atenas. Como bolseira da fundação grega K. Pratsika, frequentou o programa ESSAIS no Centro Nacional de Dança Contemporânea (CNDC) em Angers em 2011, sob a direcção de Emmanuelle Huyhn, e tem grau de mestre em pesquisa e coreografia pela Universidade de Paris 8. Foi bolseira da DanceWEB no Festival ImPulsTanz, em Viena, em 2015. Como intérprete, colaborou com DD Dorvillier, Lenio Kaklea, Bryan Campbell, Dinis Machado, Emmanuelle Huynh e Ana Rita Teodoro, entre outros. No seu trabalho, procura desenvolver estados de presença, destrinçando-os a partir de uma negociação constante entre tarefas divergentes, ficções e universos, muitas vezes questionando a relação entre ideias como autoridade e autonomia, comunicação e censura. É frequentemente responsável pela composição musical das suas próprias obras. Foi-lhe atribuído o prémio de coreografia Prix Jardin d'Europe, no Festival ImPulsTanz, em 2016, pela peça de dança solo "A Kind of Fierce" ["Uma Espécie de Feroz"], uma coprodução do Festival de Atenas.